quinta-feira, 11 de abril de 2013

Respeito é bom e o Joinville-SC também gosta



Quem não gosta de um respeito né!?!? O time do Joinville de Santa Catarina, como todo mundo, também gosta e muito de respeito. Estamos falando isso porque na noite de ontem, o time Catarinense enfrentou o time do Aracruz na primeira fase da Copa do Brasil. O jogo teve o placar final de Aracruz 1 x 1 Joinville-SC.
Tudo bem, mas onde entra o respeito nessa história?
Entra exatamente no início da partida e, durou praticamente todo o primeiro tempo. Porque todos que acompanharam a partida viram que o time Aracruzense entrou no jogo com uma atenção muito maior pelo o seu setor defensivo e, a partir daí, com a recuperação da posse de bola, o time arriscava alguns golpes ofensivos contra os Catarinenses, às vezes usando contra ataques, em outras, trabalhando mais a posse de bola. Mas isso não acontecia com muita freqüência.
O Joinville vendo essa situação, encaixou uma boa marcação ofensiva na saída de bola do time do Dragão, que logo resultou no gol a seu favor. O meia-atacante Marcelo Costa recebeu lançamento da esquerda, girou e bateu cruzado para abrir o placar aos 10 minutos.
Diante disso o Aracruz, não mudou muito sua postura, continuou jogando com os três zagueiros que iniciaram a partida mas, mesmo com tudo isso, ficava claro que o Aracruz tinha condições de encarar de igual para o Igual o time Catarinense que disputa a serie C do Campeonato Brasileiro.
(Foto: www.globoesporte.globo.com/es)
Na segunda etapa o técnico Aracruzense Vevé, resolveu digamos, “desrespeitar” os Catarinenses. Ele sacou um zagueiro (Luciano) e colocou o atacante Talles, que entrou muito bem no jogo e, foi um dos grandes responsáveis pela mudança na história dessa partida.
A mudança trouxe resultado imediato, o Aracruz partiu com tudo para cima, colocando pressão e dominando o jogo, empurrado com incentivo da sua torcida que se incendiou por completa. E logo, os Catarinenses levaram o primeiro golpe. O volante Marcos Winícius fez falta dura em Badinho, como já tinha um amarelo, levou o segundo e deixou o Dragão com um guerreiro a mais.
E o segundo golpe foi ainda mais forte. Em lançamento de Talles pela direita, a bola passou por todo mundo menos pelo o atacante Regílson, que fez a sua parte que é empurrar para as redes.
Regilson, entre Sidney a esquerda e Badinho a sua direita, comemora o seu gol
(Foto: www.globoesporte.globo/es)
Com o empate, um jogador a mais, e a torcida delirando, o Dragão tava cuspindo fogo alto. Mandava na partida e o Joinville não conseguia se quer, trocar quatro passes entre seus jogadores que logo o Aracruz já recuperava. Porém sua defesa ainda trazia bons resultados, mesmo com mais uma expulsão no fim do jogo. O zagueiro Diego, também levou o segundo amarelo.
O Aracruz tentou de tudo e com todos mas, não dava tempo para nada. O placar de 1 a 1 se manteve até o final do jogo. E ao apito final da partida a torcida reconheceu o desempenho do seu time, principalmente no segundo tempo. O Aracruz saiu aplaudido pelos seus torcedores. Ali no meio deles se encontrava um torcedor especial, o Índio Tatuapu Uga-Uga, diretamente da Barra do Riacho. Ele é responsável por inflamar toda a torcida através de fantasia, gritos, brindes e balas para todos antes de iniciar os jogos.
Adevalter - Tradicional torcedor de Barra do Riacho
(Foto: Thiago R. Azeredo)
 No jogo de volta na Arena Joinville, o time da cidade industrial de Aracruz, precisa vencer, ou empatar com placar acima de 2 gols. Outro resultado de 1 a 1 a partida vai para os pênaltis.
É importante impormos nosso respeito até mesmo para sermos respeitado, talvez foi o que faltou para o Aracruz na primeira etapa da partida. Do mais a equipe de Aracruz está de parabéns pela a atuação nesse primeiro jogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais vistos na última semana

Ocorreu um erro neste gadget